O BAIRRO DE PERUS


 

A história da criação do território pertencente ao atual bairro de Perus teve início em um registro de 1856 do Registro Paroquial de Nossa Senhora do Ó que indicava dezessete proprietários de terras do então denominado Bairro do Ajuá. Tal localidade constituída como a Fazenda Ajuá propiciou a ocupação territorial do que se tornaria o bairro de Perus. No ano seguinte, 1867, ocorre a implantação da estação ferroviária pela São Paulo Railway Co. Ltd. que funcionava basicamente como um posto de reabastecimento de água das locomotivas que ligavam as cidades de Santos (SP) a Jundiaí (SP), entre as estações Água Branca (SP) e a extinta Belém (SP), território atualmente conhecido como Francisco Morato (SP). Após esses marcos, o território começa a receber mais atenção com a implantação de novas fábricas na região como a Fábrica de Pólvora de 1900, a Estrada Férrea Perus Pirapora de 1900 e a monumental Companhia Brasileira de Cimento Portland S. A. criada em 1924 e inaugurada em 1926. O nome oficial do bairro tem origem nas palavras em tupi guarani “PI”+”RU”, que significam “águas passando por fendas estreitas produzindo um ruído forte” e fazem alusão ao acidente geográfico no Ribeirão Perus, local que possuía um amontoado de rochas naturais e com a passagem da água do ribeirão propiciava um som muito forte, dos quais os indígenas nativos da região se referiam como PIRU. Mais informações sobre o bairro disponíveis na linha do tempo disponível abaixo:

LINHA DO TEMPO

 

Grupo 007. Década de 1960. Foto gentilmente cedida por Mario Rubbo